“Julieta”, um diálogo sobre a depressão por Almodóvar

Poucos são aqueles que conseguem trabalhar com um tema tão sensivelmente complicado como a depressão, uma doença que aos poucos ganha espaço na vida de muitas pessoas, de forma silenciosa e devastadora. O diretor Pedro Almodóvar utilizou o tema com tamanha sensibilidade em seu novo longa Julieta.

Antes de tudo éjulieta preciso dizer que Julieta, não se trata de um longa que explora unicamente a tristeza, não vemos isso na protagonista que dá o nome ao filme. Pelo contrário encontramos na personagem marcante, alguém com uma força incrível, um retrato fiel de uma mãe. Almodóvar explora justamente a relação entre mãe e filha, lutando contra a perda e o desconhecimento mútuo.

De volta ao drama, Almodóvar impressiona com uma fotografia única e diálogos bem montados com o objetivo de explorar a natureza humana. A protagonista entra em conflito quando um encontro casual nas ruas de Madri traz à tona parte de seu passado, a partir desse ponto somos convidados a vivenciar os dramas e medos de Julieta e sua filha Antía.

Julieta_still

Incapaz de continuar sua vida e ignorar o passado que a assombra, Julieta desaba sob o peso de suas frustrações e erros, desistindo de seus planos e relacionamento a protagonista se recolhe do mundo para se reencontrar.

Julieta é um filme que nos faz refletir, um longa para ser assistido em dias frios e sentir.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s